MARIA HELENA LOPES, PARQUE DAS NAÇÕES

Publicado em

Conheça a história de Maria Helena Lopes.

Como recuperar o peso “da juventude”?



A vida é feita de marcos e de metas.

Aos 20 podemos comer quase tudo e nada parece notar-se... Aos 30, no meu caso, a situação não se alterou... Até porque os meus 30 corresponderam ao tempo da loucura da aeróbica e eu era absolutamente viciada. E subitamente, sem eu dar conta, chegaram os 40 e com eles, um metabolismo um pouco mais lento... Para além disso, os meus 40 anos corresponderam também a uma alteração profunda na minha vida profissional, ao assumir de novas responsabilidades.... Deixei de ter tempo... Na verdade, o tempo, desde que me lembro, foi sempre o meu grande inimigo, mas a partir desta data a situação complicou-se, verdadeiramente, pois as minhas metas agora eram outras...

Eu, e o meu corpo, deixaram de ser uma prioridade, e a minha atividade profissional passou a comandar completamente a minha vida. Não foi bom nem foi mau. Foi assim...

E um dia, subitamente, dei por mim a fazer os 50. Três anos antes morrera o meu melhor amigo e a sua morte provocou uma tal devastação na minha vida da qual, percebo agora, começo finalmente a recuperar.

Comer e beber, “ser feliz” como eu expliquei à Drª Joana André, passaram a ser uma fonte inesgotável de prazer. E assim, a pouco e pouco, eu fui aumentando o meu peso, apesar da prática regular de exercício físico.

E, abruptamente, uma tarde, depois de uma conversa com a minha PT – a “generala Margarida” que eu adoro – decidi: “Tenho de mudar de vida”.

Marquei uma consulta no meu ginásio – Holmes Place Parque das Nações – com a Drª Joana André, e no dia 11 de Abril, com 63.9Kg de peso, 35,5% de massa gorda e a idade metabólica de 51 anos iniciei a minha dieta.

Aqui convém esclarecer uma coisa. Eu adoro desafios e não há ninguém mais teimoso e determinado do que eu. A palavra “impossível” está riscada do meu vocabulário. Mas, de qualquer modo, eu julgo que nem a minha querida e dedicada dietista, que me criou uma “dieta alimentar” específica, julgou possível verificar aquilo que aconteceu. A 13 de Maio, na 2ª consulta, eu tinha 58.8kg de peso, perdera 5.1kg num mês, reduzira a massa gorda para 33.6% e adquirira a idade metabólica de 42 anos.... Hoje, a 15 de Junho, o meu peso encontra-se nos 55.6kg e não tenho nenhuma flacidez. Aquilo que perdi foi exclusivamente gordura.

Aos 57 anos voltei à silhueta que perdera algures durante os 40.

E isto é tão bom. Tão gratificante.

E agora perguntam-me: Custou muito?

Os primeiros 15 dias custaram um bocado... Afinal tinha alterado completamente a minha dieta alimentar, que se resumia a um bom pequeno-almoço, seguido de um longo intervalo de cafés e de um jantar “assustador”, naturalmente acompanhado de um bom vinho que é um tranqüilizante natural muito adequado.

Agora continuo com o meu excelente pequeno-almoço, mas faço lanchinhos de 2 em 2 horas, almoço, sempre com sopa, e janto sopa e carne ou peixe com legumes e/ou salada. Se me dá um ataque de ansiedade, ataco o frigorífico e como uma gelatina sem adição de açúcar.

E sinto-me... maravilhosamente....

Hoje já não consigo comer grandes quantidades a uma refeição e, estranhamente, o meu corpo começa também a recusar o prazer de um bom vinho...

Mas para além da silhueta invejável, o que me delicia também é a leveza que sinto, a facilidade com que me mexo...

Voltei aos 20, aos 30?

Publicado em