Reeducação alimentar: como começar e ter sucesso?

Publicado em Nutrição and tagged reeducação alimentar, dieta, saude

Mulher a comer salada | Reeducação Alimentar | Holmes Place

A reeducação alimentar é uma abordagem cada vez mais utilizada, mas quais os passos para começar e para ter sucesso?

A reeducação alimentar ou dietética acima de qualquer dieta específica requer mudanças nos hábitos e comportamentos de forma prolongada e sustentável, em contrapartida este processo promove resultados igualmente duradouros e satisfatórios. com a orientação de um profissional deverá saber como começar, como atingir objetivos e sucesso a partir desta abordagem.


A reeducação alimentar, como o próprio nome indica, é voltar a aprender, saber alimentar-se de forma sustentável e saudável mesmo incluindo alimentos pouco benéficos, a reeducação dietética acompanhada torna-se uma estratégia crucial na prevenção e tratamento de excesso de peso e comorbidades associadas como as doenças crónicas, mas também torna-se útil na preservação de uma vida saudável.


É seguramente mais importante que qualquer dieta restritiva ou prática isolada de exercício físico. A reeducação alimentar terá de passar por a introdução de comportamentos regulares de alimentação equilibrada além de estilos de vida ponderados e disciplinados ao longo do tempo.


Rapariga a segurar salada | Reeducação alimentar | Holmes Place


A nossa educação alimentar começa nos primeiros anos de vida, através de familiares, pela escola, pelos meios de comunicação, será essa educação que influenciará os nossos hábitos e as nossas preferências alimentares para o resto da vida, assim é de extrema importância proporcionar escolhas e hábitos alimentares saudáveis às crianças. Em muitas ocasiões, essa educação saudável é inexistente, por isso, a reeducação dietética torna-se tão importante como a educação inicial. Ações educativas na alimentação das crianças mostraram impactos positivos na formação de hábitos de vida saudáveis, prevenindo o aumento da prevalência da obesidade e doenças associadas à alimentação em crianças.


A reeducação alimentar aliada a atividade física regular também é vital para mudanças na composição corporal em adultos com peso excessivo num curto período de tempo, além de ajudar a reduzir os fatores de risco associados às doenças crónicas, mesmo mudanças simples e graduais na dieta alimentar revelaram resultados satisfatórios em idosos com patologias associadas à sua idade.


Grupo de raparigas a fazer Cycle | Reeducação Alimentar | Holmes Place


Como é feito o processo?

Este processo deve começar inicialmente pela motivação e instrução dada por um profissional, a reeducação envolve então mudanças simples na dieta, exclusão de alimentos processados, ricos em açúcares, gorduras saturadas e sal e a introdução de alimentos orgânicos e naturais, estes não têm ingredientes e rótulos, eles próprios são o ingrediente, como os legumes, frutas, leguminosas, frutos secos, cereais integrais, ovos, as gorduras vegetais, carnes brancas e carnes vermelhas sem gorduras. 


No entanto, esse processo de mudança, não passa unicamente por incluir ou excluir determinado alimento, passa também pela confeção, pelo tempo e modo dedicado às refeições além da convivialidade à mesa, ou seja, é todo um estilo de vida e não uma mudança pontual de alimentos ou rotinas. Além da inclusão de alimentos saudáveis, beber água abundantemete, confecionar sem molhos ricos em sal e gorduras dando preferência a especiarias e ervas, dedicar mais tempo às refeições, mastigar de forma lenta e em ambiente de convívio, são outros comportamentos que podem a ajudar na redução de calorias consumidas e consequentemente redução de peso e comorbidades associadas.


Rapariga nas compras com bicicleta | Reeducação Alimentar | Holmes Place


Em termos práticos, a adesão à Dieta Mediterrânica constitui uma ótima ferramenta de educação alimentar promovendo estilos de vida saudáveis, onde se privilegia o consumo de alimentos de diversos grupos, dando especial importância às proporções, frequência de ingestão, às técnicas culinárias, à atividade física e a hábitos assertivos.


A reeducação alimentar não deve ser interpretada como a manutenção de hábitos contínuos restritivos e pouco diversificados, para haver sucesso nessa transição terá de optar pelas suas preferências, terá de ter o prazer de comer e sentir saciedade, escolher os alimentos que efetivamente nutrem, poderá incluir uma refeição mais pesada, um “snack” menos saudável, desde que continue a maior parte do tempo a comer e a viver regradamente.


Em conclusão, a reeducação dietética, iniciada em qualquer fase da vida, é de facto uma das abordagens de saúde mais eficazes e aconselháveis para redução dos fatores de risco associados a doenças e para a diminuição de peso, é crucial a existência de disciplina e acompanhamento nutricional profissional para se alcançar alterações nos comportamentos e nas mentalidades.


Rui Mendonça

Nutricionista estagiário Holmes Place



Referências

Ramos FP, Silva Santos LA, Reis AC, et al. Food and nutrition education in school: a literature review, Cad. Saúde Pública. 2013.

Fett C, Fett W, Fabbro A, Marchini J, Dietary Re-education, Exercise Program, Performance and Body Indexes Associated with Risk Factors in Overweight/Obese Women. J Int Soc Sports Nutr. 2005; 2(2): 45–53

Bemelmans WJ, Broer J, Feskens EJ, Smit AJ, et al. Effect of an increased intake of α-linolenic acid and group nutritional education on cardiovascular risk factors: the Mediterranean Alpha-linolenic Enriched Groningen Dietary Intervention (MARGARIN) study. The American Journal of Clinical Nutrition. 2002. 75(2) 221–227

Riviere S, Gillette-Guyonnet S, Voisin T. A nutritional education program could prevent weight loss and slow cognitive decline in Alzheimer’s disease. The Journal of Nutrition, Health & Aging. 2001. 5(4).

Publicado em Nutrição and tagged reeducação alimentar, dieta, saude.