Vitamina B12, a lacuna da alimentação vegetariana

Publicado em Nutrição

A falta de vitamina B12 tem repercussões sérias.

É do conhecimento geral que a nossa alimentação deve ser o mais variada possível, e que deve contemplar todos os grupos da roda dos alimentos – de forma a assegurar a disponibilidade dos macro e micro nutrientes dos quais necessitamos nas doses adequadas.

A vitamina B12 é uma vitamina não sintetizada pelo organismo humano pelo que deve ser adquirida na alimentação. Faz parte de uma família de compostos denominados genericamente de cobalaminas, sendo esta hidrossolúvel. A cianocobalamina, uma forma sintética de vitamina B12, é largamente usada clinicamente devido à sua disponibilidade e estabilidade.

Das diversas funções da vitamina B12, as principais relacionam-se com a formação das células sanguíneas (os glóbulos vermelhos), com a manutenção de um sistema nervoso saudável, metabolismo das gorduras, dos hidratos de carbono, das proteínas e ainda do metabolismo do ácido fólico.

A falta de vitamina B12 leva à anemia e a neuropatia traduzidos em alguns sintomas: fraqueza, cansaço, falta de ar de esforço (dispneia), sensação de latejar e dormência (parestesia), língua dorida (glossite), perda de apetite e de peso, perda do paladar e do olfacto, impotência, perturbações psiquiátricas (tais como irritabilidade, perda de memória, depressão leve, alucinações) e anemia grave (a qual pode levar a sinais de disfunção cardíaca).

O risco de deficiência nutricional é aumentado em pessoas com uma dieta exclusivamente vegetariana (Vegan). Neste caso, a elevada ingestão de fibras tende a agravar o equilíbrio precário da vitamina. Têm também sido relatados casos em bebés amamentados por mães vegetarianas.

Pessoas com anemia perniciosa (uma doença hereditária que afecta principalmente pessoas idosas), após uma gastrectomia e após a ingestão de agentes corrosivos com destruição da mucosa gástrica podem também apresentar risco.

Em pacientes com lesões no intestino grosso, o sobre crescimento das bactérias pode levar à competição pela vitamina disponível. A absorção diminuída também ocorre em pacientes com pequenos defeitos no intestino e naqueles com erros congénitos do metabolismo da cobalamina ou com a secreção do factor intrínseco biologicamente anormal.

As principais fontes na nossa alimentação desta vitamina são: fígado, leite, ovo, peixe, queijo e carne.

Está disponível uma injecção de vitamina B12 na forma aquosa estável como cianocobalamina ou hidroxocobalamina. A cianocobalamina também está disponível em comprimidos e em apresentações líquidas orais. A vitamina B12 está também incluída em várias preparações de multivitamínicos comercializados como suplementos nutricionais para a anemia.

A Organização Mundial recomenda uma dose diária média de 2,4 microgramas para o adulto.

A deficiência de vitamina B12 na alimentação é muito rara, contudo pode ocorrer em vegetarianos estritos, e nestes casos é utilizado por vezes a levedura nutritiva como alimento para atingir a ingestão diária. Contudo, não apenas pela vitamina B12 mas também por outras vitaminas, é recomendado que os vegetarianos optem por consumir também ovos e produtos lácteos.

Maria Costa
Nutricionista
Clube Amoreiras

Gostou deste Artigo? Deixe-nos a sua Opinião.

Publicado em Nutrição