STEVIA: A alternativa saudável ao açúcar

Publicado em Bem-Estar, Nutrição and tagged Stevia, Adoçante, Saúde, Alimentação Saudavel, Nutrição

Stevia adoçante natural | Holmes Place

Conheça o adoçante natural que não faz mal à saúde e é uma boa alternativa para diabéticos e controlo do peso.

Atualmente, existem várias alternativas ao açúcar refinado com maior poder adoçante e sem valor energético, como é o caso dos adoçantes artificiais e naturais. 


Como principal adoçante natural, surge a Stevia Rebaudiana Bertoni, vulgarmente conhecido por Stevia. 

A Stevia é um pequeno arbusto natural da América do Sul e América Central, foi adotada comercialmente como adoçante pela primeira vez no Japão na década de 1970, onde ainda hoje é um ingrediente apreciado.

A Stevia é cultivada principalmente no Paraguai, Quénia, China e Estados Unidos.


É popularmente conhecida como folha doce, folha de açúcar e folha de mel, devido ao facto das suas folhas serem doces. Os responsáveis pelas suas propriedades adoçantes são os glicosídeos de steviol, que são extraídos das suas folhas.


Açúcar - Holmes Place Portugal


Com zero calorias e um poder adoçante 50 a 400 vezes superior ao açúcar refinado, a Stevia está a ser reconhecida como um ótimo substituto do açúcar e outros adoçantes.

Além do seu alto poder adoçante, o extrato de Stevia tem demonstrado trazer vários benefícios para a saúde, pois tem efeitos anti-hiperglicémico, anti-hipertensivo, anti-inflamatório, anti-tumoral, anti-diarreico, diurético e imunomoduladores.


O extrato de Stevia demonstrou também recuperar o funcionamento normal das células ß-pancreáticas, e consequentemente uma melhoria do metabolismo e no transporte de glicose para as células.

 

No sétimo congresso da Federação Internacional de Diabéticos, foi apresentado um estudo por médicos paraguaios, que demonstrou que a ingestão de pequenas quantidades de Stevia podia normalizar os níveis de açúcar no sangue de diabéticos. Neste estudo não foi reportado nenhum caso de intolerância.


Estes benefícios terapêuticos devem-se à sua composição bioquímica e nutricional.

A Stevia é uma boa fonte de hidratos de carbono, proteínas, fibras, minerais, aminoácidos essenciais e não essenciais, labdanos, flavonóides, esteróis, triterpenóides, clorofilas, óleos voláteis, monodissacarídeos e sais inorgânicos. O mais importante destes compostos bioativos de plantas são alcalóides, flavonóides, taninos e compostos fenólicos, que promovem o bem-estar e minimizam o risco de certas doenças.


Iogurte com stevia | Holmes Place


Em relação a possíveis efeitos carcinogénicos, mutagénicos e tóxicos, em 2006, a Organização Mundial da Saúde realizou uma avaliação completa dos experimentos com glicosídeos de esteviol em animais e seres humanos e concluiu que esteviosídeo e rebaudiosídeo não são mutagénicos (nem in vitro nem in vivo), também o relatório não encontrou efeitos carcinogénicos.

Além disso, milhões de japoneses usam extratos de Stevia há 30 anos sem nenhum efeito colateral conhecido ou relatado. A toxicologia do esteviosídeo tem sido extensivamente estudada, e dados relacionados, reavaliados recentemente, indicaram que não é tóxico, mutagénico nem carcinogénico.


Em 2010, a European Food Safety Authority (EFSA) estabeleceu uma dose diária admissível de 4 mg / kg de peso corporal. Como aditivo alimentar, o código atribuído à Stevia foi o E960. 


Pelos benefícios terapêuticos supracitados, pelo elevado poder adoçante, por ser isento de calorias, e por não ter sido verificado nenhum efeito colateral em estudos em animais e humanos, podemos considerar a Stevia a alternativa ideal ao açúcar quando se procura por algo doce.


Equipa Eat Well – Holmes Place


Referências Bibliográficas:

1. Bishnoi, J., Gehlot, R. and Siddiqui, S. (2018). Development of low calorie aonla ladoo using. [online] Available at: http://www.phytojournal.com/archives/2018/vol7issue2/PartK/7-2-117-243.pdf [Accessed 22 Apr. 2018].

2. Ashwell, M. (2015). Stevia, Nature’s Zero-Calorie Sustainable Sweetener. Nutrition Today, 50(3), pp.129-134.

3. Chatsudthipong V, Muanprasat C. Stevioside and related compounds: Therapeutic benefits beyond sweetness. Pharmacology and Therapeutics. 2009; 121:41-54.

4. Jeppesen P, Gregersen S, Poulsen C, Hermansen K. Stevioside acts directly on pancreatic a cells to secrete insulin: Actions independent of cyclic adenosine monophosphate and adenosine triphosphate-sensitive K+ channel activity. Metabolism. 2000; 49:208-214.

5. Khiraoui A, Bakha M, Amchra F, Ourouadi S, Boulli A, Al-Faiz C, Hasib A. Nutritional and biochemical propertiesof natural sweeteners of six cultivars of Stevia rebaudiana Bertoni leaves grown in Morocco J. Mater. Environ. Sci. 2017; 7:2028-2508. 

6. Abou-Arab A, Abou-Arab A, Abu-Salem MF. Physicochemical assessment of natural sweeteners steviosides produced from Stevia rebaudiana Bertoni plant. Afr. J. Food Sci. 2010; 4:269-281.

7. Edeoga H, Okwu D, Mbaebie B. Phytochemical constituents of some Nigerian medicinal plants. African Journal of Biotechnology. 2005; 4:685-688.

Publicado em Bem-Estar, Nutrição and tagged Stevia, Adoçante, Saúde, Alimentação Saudavel, Nutrição.