GeneticFitness: conheça o seu potencial atlético

Publicado em Fitness and tagged fitness, genes, geneticfitness, treino, lesões, personal trainer

Mulher a sorrir com phones | GeneticFitness | Potencial atlético | Holmes Place

E se houvesse um programa genético que lhe permitisse saber qual era o seu potencial atlético? Já existe e encontra-se disponível para si, conheça o programa GeneticFitness.

O potencial atlético é uma característica complexa, influenciada por fatores genéticos e ambientais. O programa GeneticFitness é personalizado de acordo com o seu perfil genético e permite-lhe tirar o melhor partido dos seus genes ao nível do fitness.


Muitas características físicas ajudam a determinar a capacidade atlética de um indivíduo, principalmente a força dos músculos usados para o movimento (músculos esqueléticos) e o tipo predominante de fibras que os compõem. Os músculos esqueléticos são compostos de dois tipos de fibras musculares: fibras de contração lenta (tipo I) e fibras de contração rápida (tipo II). 


Análise dos genes | GeneticFitness | Holmes Place

 

As fibras musculares de contração lenta contraem lentamente, mas podem funcionar por muito tempo sem se cansarem; essas fibras permitem atividades de resistência como corrida de longa distância. As fibras musculares de contração rápida, como o nome indica, contraem rapidamente, mas também se cansam rapidamente; essas fibras são boas para sprints e outras atividades que exigem força rápida durante pouco tempo. 


Compreender os genes

Outras características determinadas pelos genes e relacionadas ao exercício físico incluem a quantidade máxima de oxigénio que o corpo pode fornecer aos tecidos (capacidade aeróbica), massa muscular, recuperação dos tecidos, entre outros.


ACTN3 e ACE pertencem a uma família de genes que são os melhor estudados no que refere o desempenho atlético. Esses genes influenciam o tipo de fibra que compõe os músculos e estão ligados à força e resistência. 


Os genótipos ACTN3 XX e ACE II, conhecidos como marcadores de resistência, estão associados a uma melhor aptidão aeróbica em resposta ao treino de resistência de baixa intensidade.


Por sua vez, os genótipos ACE DD e ACTN3 RR, conhecidos como marcadores de potência / força, estão associados à uma melhor resposta ao treino de resistência de alta intensidade. 

Muitos outros genes com diversas funções têm sido associados ao desempenho atlético. Alguns estão envolvidos na função dos músculos esqueléticos, enquanto outros desempenham papéis na produção de energia para as células, na comunicação entre as células nervosas ou em outros processos celulares.


O potencial atlético também é fortemente influenciado pelo meio ambiental. Fatores como a quantidade de apoio que uma pessoa recebe da família e dos treinadores, as circunstâncias económicas e outros fatores que permitem a realização da atividade física, parecem desempenhar um papel importante. 


Em resumo, evidências científicas demonstram que é possível fazer uso de informações genéticas para avaliar a predisposição para potência, resistência, potencial aeróbico, lesão tecidual e recuperação de lesões. 


O que analisa o programa GeneticFitness?

O GeneticFitness analisa as variantes genéticas específicas do indivíduo para permitir disponibilizar-lhe informação que será útil e, por vezes, determinante, para a definição de um plano de treino personalizado. Aliado ao conhecimento técnico do Personal Trainer, o programa irá permitir resultados muito mais rápidos, consistentes e duradouros. 


 

Thordis Berger

Chief Medical Officer Holmes Place Portugal


GeneticFitness | GeneticNutrition | Genes | Holmes Place

Publicado em Fitness and tagged fitness, genes, geneticfitness, treino, lesões, personal trainer.