Músculos tensos? Conheça os benefícios da libertação miofascial

Publicado em Fitness

Descubra em que consiste a libertação miofascial.

Muitas das nossas rotinas diárias levam-nos a ser demasiado sedentários, estando em posturas pouco adequadas para o organismo, e a realizar movimentos errados. Como consequência o nosso corpo gera adaptações musculares alterando a sua estrutura devido a modificações da fáscia muscular.

Mas afinal o que é a fáscia?

A fáscia é um tecido conjuntivo ricamente enervado que se distribui por todo o corpo numa teia tridimensional desde a cabeça aos pés sem interrupção, envolvendo todo e qualquer tecido do corpo desde a célula, grupo de músculos, ossos, órgãos, etc. Por esta razão é conhecida como tecido conectivo o qual é composto por colagénio (que atua como cola) e elastina (que atua como elástico) criando dessa maneira a conexão entre toda e qualquer estrutura.

Existem inúmeras terapias miofasciais que procuram a libertação deste tecido que reveste os músculos através de técnicas manuais como massagens ou tratamentos mais específicos. Para MacDonald (2013) a típica auto-massagem fascial com Foam Roller têm demonstrado que pode melhorar a amplitude de movimento. Segundo Chaudhry (2008) se aplicado de forma apropriada, através de movimentos lentos e com mudanças de direção ajustadas finamente, os benefícios potenciais destas auto-massagens podem ser semelhantes aos de um tratamento de libertação miofascial manual.

Através da libertação miofascial podemos restaurar inúmeros processos fisiológicos através da melhoria da circulação, que trarão mais oxidação e nutrientes aos músculos e removendo os resultantes da contração muscular. Embora hoje exista um desenvolvimento tecnológico avançado a nível da saúde e respetivas técnicas de diagnóstico, são muitas as pessoas a apresentarem queixas e dores na coluna que, após realizarem testes, nada em concreto é encontrado que explique os sintomas. Alguns especialistas começam a apontar para as alterações na fáscia como a principal responsável.

Um dos autores de referência nesta área (Thomas Myers) relaciona a libertação miofascial com o conceito de tensegridade (Tensão + Integridade) no qual explica que encurtamentos das fáscias em certas zonas provocam tensões acrescidas noutras. Através desta visão holística percebemos que o local da queixa (dor), coincide normalmente com este excesso de tensão, embora a zona que necessita de ser libertada seja outra.

A hidratação é de extrema importância já que cerca de 2/3 dos tecidos fasciais são constituídos por água. Segunto Schleip e Klingler (2007) durante a tensão do alongamento a água é empurrada para fora destas zonas, à semelhança da compressão de uma esponja. Com a libertação que se segue, esta área é novamente preenchida com fluido novo, que vem a partir do tecido circundante, bem como da rede vascular e linfática de forma a promover uma hidratação adequada.

Benefícios da libertação miofascial:

– Maior mobilidade (qualidade e amplitude de movimentos);
– Redução de tecido cicatricial e aderências;
– Diminuição do tónus dos músculos hipertónicos (demasiado duros);
– Melhoria da coordenação;
– Melhoria do aporte de sangue;
– Diminuição da dor nos pontos sensíveis;
– Efeito terapêutico;
– Melhoria da postura;
– Reforça a estabilidade, elasticidade e mobilidade
– Prevenção e redução de fibroses, densificações ou excessiva tensão
– …


musculos tensos
Esquerda - Exemplo de auto-libertação miofascial do vasto interno com um Foam Roller
Direita - Exemplo de auto-libertação miofascial do grande peitoral com um Foam Roller

Em resumo, a libertação miofascial é um processo que pode ser atingido através de várias técnicas. As suas vantagens são enormes e pode ser feita antes e/ou depois do treino e até em pequenas sessões fora dos treinos. Quer mais motivos para começar?

Bons treinos!

José Pereira
Master Trainer Holmes Place

Conheça os nossos programas de verão em: Programas de Verão


Gostou deste artigo? Deixe-nos o seu comentário.

Partilhe com os seus amigos!

Publicado em Fitness